Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Urumi

por Paulo Pinto, em 17.11.13

É o nome do filme de onde vem a primeira destas músicas. É mencionado de forma breve no livro, mas merecia longas e repetidas reflexões. Por vários motivos. O primeiro é que se trata de uma enorme produção indiana (do Kerala, melhor dizendo), de 2011, um grande sucesso por lá, e que ninguém conhece aqui pela nossa terrinha. Addicted à produção de Hollywood, agarradinhos ao inglês e às estrelas, os portugueses ignoram, com um misto de condescendência colonial e de snobismo chique, o(s) cinema(s) indiano(s), olhado como "só dancinhas e cantiguinhas". O segundo - e o mais importante para o fim em causa - é que é sobre Vasco da Gama, melhor, sobre um homem que queria matar Vasco da Gama. O grande herói nacional - e os portugueses de um modo geral - é o vilão da história, tirânico, odioso, cruel. O terceiro, é que é uma espécie de ode "nacionalista" ao Kerala e ao "país dravídico", num país cheio de particularidades regionais. Existe em 3 línguas diferentes, malaiala (do Kerala), telugu (de Andhra Pradesh) e tamil (do Tamil Nadu); sim, "indiano" não é língua. Parece que irá sair em breve uma versão em hindi e outra em inglês.

O filme está cheio de incorreções históricas (para não dizer disparates), mas isso pouco importa. Importa, sim, perceber como é elaborado o discurso de elogio à terra e como Vasco da Gama é tomado como precursor do domínio colonial europeu. E, já agora, entender outras formas de fazer cinema, se bem que esta esteja bem adequada aos cânones internacionais: produção de excelência, magnífica fotografia, paisagens de tirar o fôlego, banda sonora excelente. Algumas boas interpretações, também (outras nem por isso). E os tiques que nos causam estranheza, as tais "danças e cantigas" quando menos se espera. De resto, percebe-se que está ali uma corda sensível da identidade nacional; de várias identidades, "deles" e "nossa", basta ver os comentários que estão no link do youtube abaixo, com portugueses a dizer que os nossos antepassados não eram nada assim e outros a replicar que "You assholes were the worst of the imperial scum that came out of europe during that time".

A obra está disponível no youtube, integral (em versão telugu, de onde retirei a música) e sobre a mesma incidem outros pormenores interessantes, como um plágio à Loreenna McKennitt. (V. página da Wikipedia para mais informação).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:28




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D